Publicado em Deixe um comentário

MUCOSITE

Já falei aqui sobre os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia. Hoje vamos falar sobre a mucosite, esse enooorme incomodo na boca, um dos efeitos colaterais mais sentidos! Vocês sentiram?

Se você for uma Cat que não sabe o que é “mucosite” você pode até ser considerada uma pessoa de sorte. Se você for uma Cat que sofre com isso, não se preocupe, que dá para amenizar! A mucosite é uma inflamação da parte interna da boca e da garganta que pode levar a úlceras dolorosas e feridas nessas regiões. Ocorre em até 40% das pessoas que recebem quimioterapia, mas principalmente nas sessões de radioterapia (da cabeça e pescoço).

Causas:

  • Alguns tipos de quimioterapia.
  • Queda do sistema imunológico, pela quimioterapia.
  • Radioterapia da região da cabeça e pescoço.
  • Transplante de medula óssea.

A sensação pode melhorar com gelo! O nome técnico é “crioterapia oral”, que consiste na sucção de lascas de gelo antes e durante cada quimioterapia, pode reduzir a ocorrência da mucosite. Alguns médicos ainda indicam anestésicos locais (Como Nenedent) ou analgésicos (como Oncilon). Caso a mucosite te incomode então, converse com seu médico!! Mas não esqueça que independente de qualquer remédio, é importantíssimo cuidar da saúde bocal encovando os dentes da maneira correta.

Recomendações a serem seguidas durante o tratamento do câncer:

  • Escovar os dentes com pasta contendo flúor.
  • Passar fio dental suavemente.
  • Fazer gargarejos com bicarbonato de sódio.
  • Remover a dentadura.
  • Escolher alimentos que exijam pouca ou nenhuma mastigação.
  • Evitar alimentos ácidos, picantes, salgados e secos.

Ainda falando sobre mucosite, uma das opções para amenizar o desconforto é a laserterapia. Vocês conhecem?O tratamento com o laser age estimulando a atividade celular, conduzindo à liberação de fatores de crescimento por macrófagos, proliferação de queratinócitos, aumento da população e degranulação de mastócitos e angiogênese. Palavras complicadas né? Resumindo: Esses efeitos podem levar a uma aceleração no processo de cicatrização de feridas devido, em parte, à redução na
duração da inflamação aguda, resultando numa reparação mais rápida.

Fonte: OncoguiaINCA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *