Publicado em Deixe um comentário

NOVEMBRO AZUL INCENTIVA HOMENS A REALIZAREM EXAMES PREVENTIVOS DE CÂNCER DE PRÓSTATA

O câncer de próstata é o segundo tipo da doença mais comum entre os homens no Brasil, depois do de pele. Para conscientizar aqueles que não têm o hábito de se cuidar e realizar exames preventivos, foi criada a campanha mundial Novembro Azul. Além de aumentar a quantidade de informações sobre o assunto, o intuito é reduzir os números de mortes por causa da doença.

O câncer de próstata é silencioso e, quando apresenta algum sintoma, já pode ser tarde demais. Mas é possível prevenir. Médicos recomendam que a primeira dosagem do PSA (Antígeno Prostático Específico), para a maioria dos homens, seja feita aos 50 anos – e aos 45, para aqueles com histórico familiar. Para um diagnóstico preciso, é recomendado, ainda, o toque retal

– Se descoberto no início, o tumor tem tratamento e altas chances de cura. Ao se espalhar pelo corpo, não. O exame do PSA não é suficiente para diagnóstico de todos os tumores. Por isso é importante procurar um urologista que realize o toque retal – indica o oncologista Carlos Augusto, da Oncoclínica.

Segundo o oncologista da unidade Itaboraí do Hospital Adventista Silvestre, Rogério Gusmão, um a cada seis homens deverá desenvolver a doença e um a cada 36 morrerá em decorrência dela. Para ele, o número só vai diminuir quando o diagnóstico passar a ser precoce:

– A periodicidade dos preventivos deve ser anual para quem não tem alteração nos exames. Quando houver alteração, o retorno poderá ser semestral ou trimestral.

Dados do Instituto Nacional do Câncer preveem para este ano 61.200 novos casos em todas as regiões do país. Estima-se que quase 25% dos pacientes com câncer de próstata ainda morrem devido à doença.

Fonte: Extra

Publicado em Deixe um comentário

DISPOSITIVO QUE DETECTA CÂNCER DE MAMA PELA SALIVA É CRIADO NO MÉXICO

A detecção do câncer de mama cedo favorece seu tratamento, por isso que uma equipe do Centro Tecnológico de Monterrey (México) desenvolve um dispositivo para facilitar este processo através da saliva.

Através do sensor incorporado em um filme ultrafino -de cerca de dois mícrons de espessura e dez milímetros de comprimento-, o dispositivo é capaz de detectar uma proteína conhecida como Cerb-b2.

Esta proteína, que se localiza na saliva, é desenvolvida por “um grupo muito amplo de mulheres” que apresentam câncer de mama nos períodos iniciais, explica à Agência Efe o responsável da pesquisa, o médico Joaquín Esteban Oseguera Peña.

A grande vantagem deste método é que antecipa a detecção da doença mesmo em mulheres que realizam auto-exame, já que a prova funciona quando o tumor é medido em mícrons -com um tamanho mil vezes menor do que quando pode ser detectado manualmente.

A Cerb-b2 aparece em, aproximadamente, 98% das mulheres com câncer de mama.

Com este aparelho “imediatamente poderia ser decidido se há esta proteína e, em consequência, quais são as probabilidades de que a pessoa esteja desenvolvendo câncer de mama”, afirmou Oseguera, que lidera um grupo de pesquisa de oito pessoas no campus do Estado do México da instituição universitária.

“A ideia fundamental -continua o médico- é que o dispositivo possa ser acessível a todo o público, sobretudo em lugares afastados ou de difícil acesso para equipes mais sofisticadas”.

Segundo o médico, é “provável” que a ideia de um dispositivo como este possa se estender a outros tipos de câncer vinculados com outras proteínas, embora seja necessitaria “fundamentá-lo com estudos”.

Por enquanto, a equipe de pesquisa entrou em contato “só em nível preliminar” com alguns hospitais públicos da área, e em aproximadamente um ano terá constituído todo o desenvolvimento adicional que permitirá realizar testes com pacientes.

Fonte: G1

Publicado em Deixe um comentário

MORADORES DE RUA FAZEM EXAME DE PREVENÇÃO AO CÂNCER DE PRÓSTATA

Pessoas em situação de rua fizeram, nesta quarta-feira (11), exames de prevenção ao câncer de próstata, no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP) de Vitória. Eles ainda tiveram a chance de medir a pressão e receberam informações sobre a importância da higienização na prevenção dessa doença.

Durante o dia de atendimento, a equipe do Hospital das Clínicas, referência em Urologia no Espírito Santo, realizou 30 exames no abrigo. O morador Antônio Mello fez o exame pela primeira vez, e destacou a importância do cuidado com a saúde.

“É a primeira vez que eu faço, eu acho importante fazer porque isso está matando as pessoas no Brasil e é bom a pessoa se cuidar, não adianta ter vergonha”, disse.

O recado de Antônio foi para os homens que, por preconceito ao exame de toque, necessário para a detecção do câncer de próstata, se recusam a realizar o exame.

O morador Aldemar Cunha, de 67 anos, é um dos homens em situação de rua que se recusou a realizar o exame no abrigo por causa do preconceito. “Eu vou morrer um dia, vai chegar a minha hora”, disse.

O morador Luiz Alves da Guia fez questão de fazer o exame. O pai dele morreu de câncer de próstata e por isso ele sabe a importância da prevenção. “Eu me cuido, já fiz uma vez, agora surgiu essa oportunidade e eu estou já na fila”, contou.

Todos os homens atendidos também receberam informação sobre a importância da higiene íntima para evitar o câncer. Só neste ano, 20 homens foram atendidos no Hospital das Clínicas de Vitóriax (Hucam) por causa desse tipo de câncer. Dois morreram semana passada.

“O costume da higienização é importante, às vezes essas pessoas carentes não têm esse tipo de higienização, são um pouco mais promíscuas e o câncer de pênis aparece com mais facilidade”, disse o médico Márcio Lamy, chefe do setor de urologia do Hucam.

No Centro de Referência, os moradores de rua recebem todo o apoio para manter a higiene em dia. “Eles recebem kit higiene pra banho, escovação de dente, toalha, xampu, condicionador, e aqui eles também podem lavar as roupas, recebem sabão em pó e cloro”, explicou Mauro Motta, coordenador do Centro POP.

Fonte: G1

Publicado em Deixe um comentário

EXAME DE SANGUE PARA DETECTAR CÂNCER

Um dos grandes problemas da mamografia é que ela pode deixar casos de câncer de mama passar despercebidos e dar falsos positivos para quem não tem nada. Além disso, ela só é capaz de detectar o problema quando ele já existe. Mesmo sendo um exame importante para a saúde feminina, ela poderá ser substituída, aos poucos, por alternativas mais precisas e modernas. O exame de sangue desenvolvido por cientistas dinamarqueses pode ser uma delas.

O teste mede todos os componentes no sangue para construir um “perfil metabólico” do indivíduo, para detectar mudanças no modo como os elementos são processados no corpo. Tudo isso durante o estágio que antecede o câncer. Um dos pesquisadores, Lars Ove Dragsted, explica que “O potencial é que podemos detectar uma doença como o câncer de mama muito mais cedo do que acontece hoje. Isso é importante porque é muito mais fácil tratar se o problema for descoberto cedo. No futuro, provavelmente vai ser possível usar modelos similares para prever outras doenças”.

Se uma mulher descobrir o câncer no estágio 2, ela tem de 93% a 100% de chances de sobreviver. No estágio 3, 72% e no estágio 4, o número despenca para 22%.  Descobrir a doença antes mesmo de ela acontecer é crucial para que muitas mulheres nem cheguem a ter que lidar com tratamentos como a quimioterapia e radioterapia. Como completa o líder do projeto, Rasmus Bro, “O método não é perfeito, mas é incrível que nós possamos prever o câncer de mama com tantos anos de antecedência”.

Fonte: Super Interessante

Publicado em Deixe um comentário

RIO DE JANEIRO APROVA A “LEI ANGELINA JOLIE”

Uma lei publicada nesta quarta-feira (26), batizada com o nome da atriz americana Angelina Jolie, autoriza o estado do Rio a assinar um convênio para oferecer a realização de exames de sequenciamento genético em mulheres com histórico de câncer de mama ou de ovário na família. O teste observa se a paciente tem uma mutação nos genes BRCA1 e BRCA2, que são considerados “protetores” deste tipo da doença. Esta mutação pode facilitar o aparecimento da doença.

O exame, que custa cerca de R$  6,7 mil, passaria a ser feito gratuitamente através do Sistema Único de Saúde (SUS) e poderia diminuir a chance de aparecimento do câncer nas pacientes em todo o estado. Não há prazo, no entanto, para o pacto ser firmado e os exames serem liberados.

Como mostrou o Bem Estar, a atriz Angelina Jolie passou pelo mesmo exame e, por meio dele, descobriu que tinha uma mutação hereditária no gene BRCA1. O problema aumenta em 87% o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama, ou ainda em 50% o risco de ter um câncer de ovário. Preocupada com o histórico familiar — a mãe da atriz morrera em 2007 após ter a doença diagnosticada —  Angelina fez uma mastectomia (cirurgia para retirar os dois seios) em 2013. Este ano, ela também retirou os ovários.

De acordo com a lei proposta pela deputada estadual Marcia Jeovani (PR), o exame terá que ser requisitado por um oncologista, geneticista ou mastologista e ressalta que a lei não é um incentivo à mastectomia. Será necessário também apresentar laudo com histórico familiar de câncer de mama. A doença tem que ter sido diagnosticada antes dos 50 anos de idade em dois parentes de primeiro grau ou três parentes de segundo grau, enquanto o paciente que vai passar pelo exame deverá ter até 40 anos.

“Antes, ninguém ouvia falar deste exame. Quando surgiu uma atriz rica, bonita e famosa todo mundo questionou. Falaram: ‘É excêntrica, é isso, é aquilo’, mas vendo mais a fundo viemos a saber que ela fez exame porque já tinha perdido a mãe e tinha grande possibilidade de ter a doença. Achamos por bem que a le itivesse o nome da Angelina”, disse a parlamentar ao G1.

Câncer de mama
O câncer de mama é o carcinoma mais comum em mulheres, respondendo por 22% do total de casos novos a cada ano no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Estimativa do instituto aponta que o país registrou 52.680 novos casos da doença apenas em 2012. São considerados fatores de risco, tanto para homens quanto para mulheres, histórico familiar, obesidade, sedentarismo e antecedente de patologias mamárias.

Fonte: G1