Publicado em Deixe um comentário

História da Cat Roberta Guariglia

“Minha luta contra o câncer de mama começou em 4 de maio de 2021. Estava no banho quando senti um caroço no seio direito, no mesmo momento meu mundo desabou! Senti que algo estava errado e marquei uma consulta com a minha médica geral. Fui encaminhada a exames, além de mamografia e ultrassom. 

Após o ultrassom, a assistente pediu para que eu aguardasse. A médica entrou na sala e disse que havia uma mancha suspeita no exame. Perguntou se eu poderia fazer uma biópsia em alguns minutos, era questão só de preparar a sala. Meu mundo desabou. Liguei para o meu marido que aguardava no estacionamento e nem conseguia falar de tanto nervoso. Pediu pra eu ficar calma e disse que me esperaria. O que era para ser uma consulta de uma hora se transformou em quatro horas de nervoso. 

O diagnóstico veio três dias depois: carcinoma ductal in situ em estágio inicial. Já que o tumor era pequeno não precisei de quimioterapia antes da cirurgia. Continuei trabalhando e levando minha vida normalmente em meio a tantos exames e consultas médicas. 

Dia 16 de junho passei por uma tumorectomia e retirada de dois linfonodos para biópsia. Os exames mostraram que o tumor não havia se espalhado; naquele dia estava livre do câncer. Mas a minha luta ainda não havia acabado; uma semana depois minha oncologista aconselhou a fazer quimioterapia pois havia grandes chances do câncer voltar caso eu não passasse pelo tratamento. Relutante,tirei três meses de licença do trabalho e comecei minha quimio. 

Com certeza está sendo uma das piores experiências da minha vida: dores pelo corpo, enjoo, falta de apetite, dias de depressão e incertezas do que a quimio ainda pode fazer no meu corpo. Fui diagnosticada com início de linfedema e outras complicações no braço por causa da cirurgia. 

Hoje faço fisioterapia e quando tenho energia vou para a academia. É muito difícil passar por tudo isso longe da minha família e amigos no Brasil; eu moro nos Estados Unidos há 11 anos. A equipe médica que me acompanha aqui é maravilhosa, minhas amigas sempre me apoiam e não me deixam ficar deprimida. Eu faço parte de um grupo de apoio que auxilia mulheres a se manterem fisicamente ativas antes, durante e depois do diagnóstico do câncer de mama. O câncer me forçou temporariamente a adiar meus planos para o futuro e definitivamente eu vou passar o resto da vida com medo dele voltar. Mas aprendi muitas coisas por causa dele: eu tenho certeza do que quero para o meu futuro e com quem eu posso contar nos momentos de desespero e incertezas”.

Roberta Oliveira Guariglia

Publicado em Deixe um comentário

História da Cat Camila Lima

“Meu nome é Camila Lima e tenho 34 anos! Aos 31 anos, senti um carocinho na mama esquerda e procurei um médico que na consulta apalpou e não sentiu nada, falou que poderia ser glândula mamária e não pediu nenhum exame. Como sempre, fiquei preocupada, e no mês seguinte sentindo ainda mais o tal carocinho, procurei um especialista que falou a mesma coisa. Para ambos pedi uma mamografia e a resposta foi a mesma, que eu era nova e, o plano ou SUS não autorizam, pois não havia suspeita e que ficasse tranquila que não tinha nada! Assim, tentei ficar.

Passados dois anos, meu marido e eu, resolvemos tentar o segundo filho. Comentei com o ginecologista que acompanhou minha primeira gestação, sobre o carocinho e que gostaria de fazer uma mamografia pra desencargo de consciência! Ele me explicou que realmente alguns convênios não aprovam por conta da idade, mas faria o pedido. Assim, com pedido e exame autorizados, o resultado veio: Birads 4, constando uma suspeita.

Corri ao mastologista indicado por uma amiga que havia passado pelo câncer de mama. Após vários exames e uma biópsia simples, constatou-se fibrose. Fiquei super hiper mega feliz com esse resultado! Muito aliviada. Mas, quando levei ao médico, foi como se jogasse um balde de água fria, ele falou que não estava tranquilo com o resultado pois os outros exames estavam muito suspeitos. Indicou uma cirurgia pra biópsia. Sai de lá arrasada e chateada. No dia 05/11/20 fiz a cirurgia pensando que poderia estar fazendo “a toa”. No dia 26/11 tive o diagnóstico: Sim… nesse dia parecia que o mundo estava acabando. Receber um diagnóstico de câncer seja onde for, o grau que for, é um diagnóstico de câncer! 

Perdi minha sogra pro câncer, 17 dias antes do meu casamento, então o desespero tomou conta!! Chorei… chorei… não acreditava. Não consigo explicar o susto e o desespero que é receber essa notícia!! Mas, tenho um filho de 6 anos que sempre foi meu maior motivo pra nunca desistir! Olhava pra ele e via esperança, e via Deus!! Minha mãe sofreu tanto que isso me dava força pra mostrar pra ela, que eu iria ficar bem, que tudo iria passar, e comecei a colocar os pensamentos no lugar e lembrar de pessoas e relatos vencedores do câncer, assim como essa minha amiga, o meu sogro, a professora do meu filho, e outros. Isso foi me aliviando, e os dias ficando mais leves até iniciar o tratamento. 

Em 12 de dezembro, fiz a mastectomia radical com expansor. O apoio da família e amigos nesse momento foi tão maravilhoso que me senti fortalecida! Em janeiro/21 fiz minha primeira quimioterapia (de 4), com várias reações e que me deixou muito mal. E 15 dias depois os cabelos começaram a cair. O sinal de que eu teria que raspar, foi quando eles saíam nos dedos e o couro cabeludo doía, sem poder colocar nem a mão na cabeça. No início de fevereiro raspei, mas me preparei pra esse momento com ajuda de uma amiga pra make profissional e acabou sendo mais leve. O pensamento era que tudo passa e cabelo cresce, bora curtir a careca. Algumas pessoas se incomodavam com a carequinha, mas eu mesma nem ligava, o maior problema de muitas pessoas que sentem-se mal por alguma coisa, é pelo o que o outro está “achando ou pensando”, eu gostei da careca e estava me sentindo tão livre, que se dane as pessoas. Pude usar turbantes e muitos lenços de várias cores.

Depois da segunda quimioterapia, mais uma notícia mudou meus pensamentos e faria me manter mais forte ainda!! Meu pai recebeu o diagnóstico de câncer na próstata! Sim, nós dois com câncer! Eu tinha que ser forte e mostrar pra ele, que iríamos vencer!! Dia 23/03 o tão sonhado sino tocou!! Minha última quimio! Uma emoção sem igual. Um mês depois, fiz minha primeira radio, das 16 sessões, sem reação nenhuma, graças a Deus! Só a cicatriz da mastectomia que abriu novamente, mas tudo dentro do esperado. Finalizei a radio no dia 17/05,  um dia antes de completar 34 anos. Um presente encerrar mais um ciclo e recomeçar uma vida nova!! 

Ainda temos 5 anos pela frente, serão 60 injeções, 1825 comprimidos, mas uma vida inteira de realizações e sonhos que ainda estão por vir!! Ah, e daqui uns dias vamos, meu pai e eu levantar a plaquinha “VENCEMOS O CÂNCER”. Agradeço sempre, em primeiro lugar a Deus por nos dar sabedoria e força em passar por tudo isso, permitindo entender que tudo tem seu propósito. A minha mãe, que sempre está ao meu lado, me ajudando em tudo e dando força total, uma mulher guerreira que me inspira!! Meu marido e meu filho por tudo!! E claro aos amigos e familiares por todo apoio e mensagens de fé e esperança que neste momento é o que mais precisamos!!”

Publicado em Deixe um comentário

História da Cat Iva Santos

A história de hoje é da Cat Iva Santos, se inspire com essa jornada🎀💖

“Em pleno início da pandemia e uma semana após meu aniversário, vejo um minúsculo sinal vermelho na minha mama quando sai do banho. A priori, não achei nada importante, até porque, meu corpo marca com tudo. No entanto, uma semana depois, o sinal aumentou para quase toda a mama, ficando vermelho e com temperatura muito quente. Foi quando notei que o mamilo estava com aparência de casca de laranja, endurecido e com o bico invertido. Mantive a calma e procurei uma especialista que foi um anjo comigo! Fiz os exames e apresentou o Carcinoma invasivo de tipo não especial. O nervosismo tomou conta, mas por pouco tempo, porque creio e sirvo a um Deus que tudo pode e que já havia feito milagres na minha família.

Foi tudo muito rápido, tive o diagnóstico no dia 15/04 e em 30/04 já estava fazendo a 1/16 quimioterapia, logo após realizei a mastectomia radical e 25 sessões de radioterapia. Fui bem assistida por profissionais excelentes. As reações da quimioterapia foram muitas: enjoos, dor de cabeça, baixa visão, labirintite, acentuou problemas na rosácea, na memória, desgaste ósseo, obesidade, entre outras, contudo, não esmoreci. Sempre confiante na minha vitória. Em nenhum momento pensei que iria morrer, mas me esforcei pra viver com mais intensidade.

Minha alegria, meu sorriso, meus sonhos, não foram nem de longe arranhados pelo câncer, pelo contrário, serviu como degrau mais alto pra ver a vida por outros ângulos e prisma. Mesmo careca, sem cílios, sem sobrancelhas, 28kg mais gordinha, pele super sensível e tantas outras reações, continuei me achando especial sim! Otimista, resiliente e alto astral sou eu, viu?! rs😻 Tive perdas materiais, sem emprego e algumas outras coisitas, mas que não me abalam, só me fazem crescer no tempo de Deus. Sou grata a Ele, minha família e amigos, e aos amigos dos amigos, e a tantas pessoas que nem me conhecem e torcem, ajudam em orações e outras formas.

Deixo aqui um alerta para as mulheres: façam seus exames periodicamente, tanto o autoexame como também os exames clínicos, porque o nódulo em mim não era palpável, só foi possível ser visto através da mamografia e ultrassonografia. Graças a Deus, sempre fui muito vigilante a qualquer sinal que meu corpo emita. Seja você também. Se observa no banho, se olhe com muita atenção e não deixe de ir ao seu médico. Obrigada pelo espaço dado para contar um pouco da minha história, Instituto Quimioterapia e Beleza. Um grande abraço cheio de amor a todos.” Iva Santos 💞

Publicado em Deixe um comentário

História da Cat Nalu Arruda

“Olá Cats!!! Venho contar um pouco da minha história e de como me tornei uma paciente oncológica. O ano de 2020 não começou muito bem pra mim, logo em fevereiro perdemos nossa filha de 4 patas, uma labradora carentona chamada Jady. Em março chegou o covid na minha cidade e com isso ocorreu um grande desligamento de funcionários na empresa que eu trabalhava. Em abril foi a minha vez de ser demitida, infelizmente não havia nada que eu pudesse fazer. Fiquei em casa com minha filha, até então com 9 meses. Eu amamentava ela normalmente, até que após o meu aniversário de 32 anos comecei a sentir um caroço no seio esquerdo, que no primeiro momento achei que fosse leite empedrado, mas como esse leite não se desfazia e o bico do peito começou a retrair decidi então procurar um médico. Em agosto, já havia feito ultrassom e mamografia e em ambos os exames constava uma grande possibilidade daquele nódulo ser um câncer. Em setembro consegui realizar a biopsia pelo Sus e no mês do outubro rosa eis que tenho a confirmação do diagnóstico: Carcinoma invasivo ductal grau 2. A ficha demorou a cair, eu estava num estado de piloto automático, fui sentir o baque quando as quimioterapias começaram. Foi difícil admitir que eu precisava de acompanhamento psicológico, mas eu estava chegando no meu limite.

Em fevereiro desse ano decidi criar uma loja on-line de camisetas, onde coloquei o nome de Lookcura, foi a forma que encontrei de me sentir útil e gerar uma renda. Porque pra mim, na minha cabeça não haveria mais espaço no mercado de trabalho para uma mulher com câncer e uma filha pequena. Mas Deus sempre esteve comigo, me dando forças junto com a minha família maravilhosa, meu esposo e filha. E em abril deste ano recebi uma mensagem que mudou tudo. Eu havia enviado vários currículos antes de descobrir o câncer, cheguei a fazer algumas entrevistas, mas não deram em nada, porém uma das empresas na qual enviei currículo estava com uma nova vaga em aberto e por um milagre divino o meu currículo foi selecionado. O gestor da área entrou em contato comigo, ele sabia que eu estava em tratamento, foi muito atencioso e me desejou forças, e ali me viu como uma profissional, alguém que poderia trabalhar, me viu além do câncer e suas limitações. Passei em todo o processo de seleção, a empresa aguardou eu me recuperar da adenomastectomia e no dia 24/05/2021 eu realizei meu exame admissional para empresa Heineken.

Desde que descobri o câncer tenho compartilhado minha luta contra ele, alertando as mulheres e informando, porque o câncer ainda é um tabu para muitos. Fiz recentemente um ensaio fotográfico para marcar essa fase da minha vida e sigo vivendo um dia de cada vez!!!!”

Ensaio lindo Cat, e saber que conseguiu retomar sua carreira profissional após o câncer, nos deixa muito esperançosas. 🙌 O retorno ao trabalho nos resgata, nos devolve a cidadania, pois o impedimento ao direito de trabalho ofende a dignidade humana. Seguimos na luta por todas nós!! 👊🎀

Publicado em Deixe um comentário

Cat Giu Nardini

Cats, a Giulianna Nardini compartilhou o depoimento falando da importância de dar atenção à uma vida saudável depois de vencer o câncer de mama aos 21 anos!

“”nossa, você teve câncer tão nova”
Toda vez que alguém descobre que eu tive câncer de mama com 21 anos eu ouço isso. Entendo o espanto (eu, minha família e até meus médicos achávamos que não seria não seria nada por causa da idade), mas precisamos falar, sempre que possível: CÂNCER NÃO TEM IDADE 🗣️

O câncer não é uma doença que tem que tremer as pernas só de ouvir o nome, não é igual a gente vê nos filmes. Tenho certeza que todo mundo conhece alguém que não fala nem a palavra câncer, bate na boca ou fala “aquela doença”.

Enquanto o nome dessa doença não for falada, enquanto a gente não falar que câncer não tem idade e que todos precisamos nos cuidar, ela continuará assustando milhares de pessoas.

Existe prevenção? Não. Não existe nada que te garanta que você não vai nunca ter câncer, mas existem cuidados: ter uma vida saudável (lembrando que é pra cuidar da saúde física e psicológica, hein) e ir ao médico com frequência. O papo da vida saudável é sério, a educação alimentar é tão importante quanto exercício e terapia. Somos uma maquininha complexa 🤖

E a necessidade de ir ao médico e fazer exames com a frequência indicada é de extrema importância. Procure um médico que você confie, que dê o match paciente-médico, e tire todas as suas dúvidas.

A única coisa que a gente tem é nosso corpo. Beba água, come frutinha e tome sol, ok?”

Vamos seguir o conselho da Giu e cuidar do nosso corpo! 💖🎀

Gostaram desse depoimento? Se quiser compartilhar o seu, encaminhe junto com uma foto para o email [email protected] Nossas histórias nos uni na luta contra o câncer. 🎀