Publicado em Deixe um comentário

História da Cat Camila Lima

“Meu nome é Camila Lima e tenho 34 anos! Aos 31 anos, senti um carocinho na mama esquerda e procurei um médico que na consulta apalpou e não sentiu nada, falou que poderia ser glândula mamária e não pediu nenhum exame. Como sempre, fiquei preocupada, e no mês seguinte sentindo ainda mais o tal carocinho, procurei um especialista que falou a mesma coisa. Para ambos pedi uma mamografia e a resposta foi a mesma, que eu era nova e, o plano ou SUS não autorizam, pois não havia suspeita e que ficasse tranquila que não tinha nada! Assim, tentei ficar.

Passados dois anos, meu marido e eu, resolvemos tentar o segundo filho. Comentei com o ginecologista que acompanhou minha primeira gestação, sobre o carocinho e que gostaria de fazer uma mamografia pra desencargo de consciência! Ele me explicou que realmente alguns convênios não aprovam por conta da idade, mas faria o pedido. Assim, com pedido e exame autorizados, o resultado veio: Birads 4, constando uma suspeita.

Corri ao mastologista indicado por uma amiga que havia passado pelo câncer de mama. Após vários exames e uma biópsia simples, constatou-se fibrose. Fiquei super hiper mega feliz com esse resultado! Muito aliviada. Mas, quando levei ao médico, foi como se jogasse um balde de água fria, ele falou que não estava tranquilo com o resultado pois os outros exames estavam muito suspeitos. Indicou uma cirurgia pra biópsia. Sai de lá arrasada e chateada. No dia 05/11/20 fiz a cirurgia pensando que poderia estar fazendo “a toa”. No dia 26/11 tive o diagnóstico: Sim… nesse dia parecia que o mundo estava acabando. Receber um diagnóstico de câncer seja onde for, o grau que for, é um diagnóstico de câncer! 

Perdi minha sogra pro câncer, 17 dias antes do meu casamento, então o desespero tomou conta!! Chorei… chorei… não acreditava. Não consigo explicar o susto e o desespero que é receber essa notícia!! Mas, tenho um filho de 6 anos que sempre foi meu maior motivo pra nunca desistir! Olhava pra ele e via esperança, e via Deus!! Minha mãe sofreu tanto que isso me dava força pra mostrar pra ela, que eu iria ficar bem, que tudo iria passar, e comecei a colocar os pensamentos no lugar e lembrar de pessoas e relatos vencedores do câncer, assim como essa minha amiga, o meu sogro, a professora do meu filho, e outros. Isso foi me aliviando, e os dias ficando mais leves até iniciar o tratamento. 

Em 12 de dezembro, fiz a mastectomia radical com expansor. O apoio da família e amigos nesse momento foi tão maravilhoso que me senti fortalecida! Em janeiro/21 fiz minha primeira quimioterapia (de 4), com várias reações e que me deixou muito mal. E 15 dias depois os cabelos começaram a cair. O sinal de que eu teria que raspar, foi quando eles saíam nos dedos e o couro cabeludo doía, sem poder colocar nem a mão na cabeça. No início de fevereiro raspei, mas me preparei pra esse momento com ajuda de uma amiga pra make profissional e acabou sendo mais leve. O pensamento era que tudo passa e cabelo cresce, bora curtir a careca. Algumas pessoas se incomodavam com a carequinha, mas eu mesma nem ligava, o maior problema de muitas pessoas que sentem-se mal por alguma coisa, é pelo o que o outro está “achando ou pensando”, eu gostei da careca e estava me sentindo tão livre, que se dane as pessoas. Pude usar turbantes e muitos lenços de várias cores.

Depois da segunda quimioterapia, mais uma notícia mudou meus pensamentos e faria me manter mais forte ainda!! Meu pai recebeu o diagnóstico de câncer na próstata! Sim, nós dois com câncer! Eu tinha que ser forte e mostrar pra ele, que iríamos vencer!! Dia 23/03 o tão sonhado sino tocou!! Minha última quimio! Uma emoção sem igual. Um mês depois, fiz minha primeira radio, das 16 sessões, sem reação nenhuma, graças a Deus! Só a cicatriz da mastectomia que abriu novamente, mas tudo dentro do esperado. Finalizei a radio no dia 17/05,  um dia antes de completar 34 anos. Um presente encerrar mais um ciclo e recomeçar uma vida nova!! 

Ainda temos 5 anos pela frente, serão 60 injeções, 1825 comprimidos, mas uma vida inteira de realizações e sonhos que ainda estão por vir!! Ah, e daqui uns dias vamos, meu pai e eu levantar a plaquinha “VENCEMOS O CÂNCER”. Agradeço sempre, em primeiro lugar a Deus por nos dar sabedoria e força em passar por tudo isso, permitindo entender que tudo tem seu propósito. A minha mãe, que sempre está ao meu lado, me ajudando em tudo e dando força total, uma mulher guerreira que me inspira!! Meu marido e meu filho por tudo!! E claro aos amigos e familiares por todo apoio e mensagens de fé e esperança que neste momento é o que mais precisamos!!”

Publicado em Deixe um comentário

Estudo mostra que a radioterapia durante a cirurgia é tão segura quanto à convencional

A crise provocada pela pandemia de Covid-19 possibilitou mais um avanço para o tratamento do câncer de mama. Um recente estudo, chamado TARGIT-A, publicado por um grupo internacional de pesquisadores, mostrou que a radioterapia intraoperatória (realizada já no ato da cirurgia) em mulheres em casos iniciais (tumores menores que 3 cm) pode oferecer a mesma segurança que a radioterapia convencional, feita entre duas e quatro semanas após a cirurgia. E mais, pode proteger essas mulheres ao diminuir os deslocamentos, que são necessários logo após a operação, mas ao mesmo tempo inseguros por conta da pandemia.

Os resultados do estudo também mostraram que o controle loco regional do câncer, assim como a sobrevivência em longo tempo no grupo de mulheres que fizeram a radioterapia intraoperatória foram tão bons quanto da radioterapia convencional.

Para Dr Ruffo de Freitas Junior, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Mastologia, o estudo surge em um momento extremamente importante e já está sendo discutido com as pacientes brasileiras nessa fase de pandemia. “As mais favorecidas são as mulheres acima de 50 anos que poderão fazer seu tratamento de câncer com segurança, correndo menos risco também em relação à pandemia`”, explica o médico.

A radioterapia intraoperatória foi realizada em 32 centros especializados distribuído em 10 países, com 2.298 mulheres com 45 anos ou mais com câncer de mama inicial, de até 3,5 cm de tamanho. O TARGIT-A apresentou longa eficácia e segurança no controle do câncer de mama inicial e foi discutido com pacientes quando a cirurgia conservadora da mama é planejada.

Fonte: Sociedade Brasileira de Mastologia

Publicado em Deixe um comentário

RADIOTERAPIA

Era inverno de 2013 quando eu fiz a minha radio. Foi super simples, e por causa dela tenho 2 tatuagenzinhas que se confundem com as minhas sardas, e um bronze a mais no peito. E graças a radioterapia fiz uma pequena cirurgia para retirar as válvulas dos meus expansores, antes de começarem as sessões – e os expansores estão comigo até hoje! Quem sabe eu troco pela prótese esse ano…Foram 28 sessões, de segunda a sexta no mesmo hospital que eu fiz as quimioterapias – e olha que coincidência, o meu medico foi meu colega no colégio, desde o jardim de infância, o Felipe!Os efeitos colaterais variam de acordo com a área tratada, a equipe técnica da rádio vai instruir você sobre os cuidados que vc tem que tomar e onde encontrar o melhor hidratante e protetor solar para usar durante essa fase.Por minha própria experiência, sofri com os seguintes efeitos colaterais:VermelhidãoArdorFadigaFalta de arE por fim esse escurecimento da pele.Então esses são alguns cuidados que devemos ter durante a radioterapia:Hidratação da peleHidratação do organismo, então beba muita águaDescansar bastanteUsar roupa soltasProteger a área radiada com roupas e protetor solarComer alimentos levesCompressa de camomila no local radiado

❤️

Você lembra de mais algum cuidado importante durante a radioterapia? Compartilha com a gente!

Publicado em Deixe um comentário

SHANNEN DOHERTY MOSTRA ROTINA NA RADIOTERAPIA

A atriz Shannen Doherty, de 45 anos, tem publicado nas redes sociais fotos que registram a luta dela contra um câncer de mama. Há cinco semanas ela começou a fazer radioterapia e, bem-humorada, apelidou a máquina de “Maggie”. Famosa por seriados como “Barrados no Baile” e “Charmed”, ela também tem feito atividades físicas que afirma fazer bem para a mente e para o corpo.

Numa das fotos publicadas esta semana, ela aparece ao lado da máquina de radioterapia. “Esta é Maggie, eu encontro Maggie cinco dias por semana para o que parece ser para sempre, temos uma relação amorosa, eu a amo porque ela faz parte do tratamento para salvar vidas que estou recebendo. É espantoso até onde chegamos com a tecnologia. Um dia, Maggie será aposentada e a cura será encontrada”, escreveu a atriz.

Ela também disse que o processo é exaustivo. “A radiação é cansativa, se acumula dentro de você e, às vezes, você apenas se esforça para manter os olhos abertos.Você pode ver como eu estou cansada aqui, mas eu ainda estou em movimento!”, declarou.

A atriz descobriu a doença em 2015. Ela passou por uma mastectomia e quimioterapia. E, em novembro, começou a radio. “A radiação é assustadora para mim”, escreveu na época.

Fonte: Extra

Publicado em Deixe um comentário

QUIMIOTERAPIA E RADIOTERAPIA: CUIDADOS GERAIS

O site Oncoguia listou alguns cuidados gerais para quem vai começar o tratamento, veja:

Atitudes que podem evitar complicações•  Não fume.
•  Não consuma bebidas alcoólicas.
•  Evite alimentos condimentados e muito açucarados.
•  A higiene oral deve ser feita com escova com cerdas macias e fio dental.
•  Não use colutórios, exceto quando indicado pelo dentista ou equipe médica.Repouso

A fadiga durante o tratamento é um efeito colateral comum. Submetido a estes tratamentos, em especial, a radioterapia, o organismo despende grande quantidade de energia na reparação de estruturas irradiadas. É importante que você reconheça seus novos limites e os respeite, estabelecendo horários de descanso ao longo do dia.Dieta

Durante o tratamento, você deve manter uma dieta balanceada, evitando a perda de peso. É muito importante que você corrija eventuais distúrbios durante o tratamento. Sempre que houver diarréia ou dificuldade para alimentação, a equipe médica deve ser avisada.

Publicado em Deixe um comentário

SABRINA PARLATORE FALA SOBRE RADIOTERAPIA

Sabrina Parlatore decidiu contar nas redes sociais um pouco sobre o tratamento que realizou para vencer um câncer de mama em 2015. A apresentadora publicou nesta segunda-feira (4) uma foto de quando fez radioterapia .

— Eu na radioterapia depois de 1 mês do final da químio em janeiro. Começava a desinchar e iniciava a última parte do tratamento do câncer de mama. O pior já tinha ficado pra trás. A radioterapia pra mama é infinitamente mais tranquila que a químio. Foram 33 sessões no meu caso, um pouco de cansaço, um pouco de tristeza e uma certa queimadura na região tratada. Usei uma pomada power que infelizmente não existe no Brasil, a Biafine. Uma tia me trouxe da Europa. Muitas mulheres com câncer de mama só passam por cirurgia e radioterapia. Costumo dizer que quem não passou pela químio não pode reclamar. Não teve a mesma experiência de quem passa por ela. #radioterapia #cancerdemama#cancerdemamatemcura #girlpower#somosguerreiras

Em uma entrevista para o programa MorningShow, da rádio Jovem Pan, a apresentadora, que fez muito sucesso com o público jovem quando era apresentadora da MTV no final dos anos 1990, contou que perdeu apenas 30% dos cabelos, que contribuiu para manter a doença em segredo durante o tratamento.— Faz muito pouco tempo que terminei o tratamento. A última sessão foi em janeiro. Eu contei com um aparelho que resfriou o coro cabeludo e segurou 70%. Ninguém percebia que eu estava passando por isso. Saíram tufos de cabelo durante o banho. Perdi sobrancelha e cílios. Mas o cabelo estava lá. Passei por isso psicologicamente bem. Fonte: R7

Publicado em Deixe um comentário

RADIOTERAPIA

Eu fiz radioterapia durante meu tratamento. Muitas Cats que conheço também. Mas cada caso é um caso, nem todas precisam de radio, outras precisam de radio e quimio… De qualquer forma, o objetivo é o mesmo: lutar contra as células cancerígenas.Mas afinal, o que é radioterapia?Segundo a página Oncoguia, a radioterapia é uma forma comum de tratamento do câncer. De acordo com a American Society of Radiation Oncology (ASTRO), dois em cada três pacientes com câncer são tratados com radioterapia, isoladamente ou em combinação com outros métodos de terapêuticos, como cirurgia e quimioterapia. Cada caso é único e seu médico é a melhor pessoa para decidir sobre a adequação da radioterapia para o seu tratamento.A radioterapia é o uso das radiações ionizantes para destruir ou inibir o crescimento das células anormais que formam um tumor. Existem vários tipos de radiação, porém as mais utilizadas são as eletromagnéticas (Raios X ou Raios gama) e os elétrons (disponíveis em aceleradores lineares de alta energia).

Embora as células normais também possam ser danificadas pela radioterapia, geralmente elas podem se reparar, o que não acontece com as células cancerígenas.

A radioterapia é sempre cuidadosamente planejada de modo a preservar o tecido saudável, tanto quanto possível. No entanto, sempre haverá tecido saudável que será afetado pelo tratamento, causando possíveis efeitos colaterais.

A radioterapia externa tende a causar mais efeitos colaterais do que a radioterapia interna. É importante lembrar que a maioria dos paciente terá apenas alguns dos efeitos colaterais mencionados aqui, e para muitos, eles serão leves. Com as técnicas de tratamento atuais os efeitos colaterais severos são muito raros.

A maioria dos efeitos colaterais causados pela radioterapia dura apenas alguns dias ou semanas após o término do tratamento. Entretanto, alguns, como os sintomas de fadiga ou perda de cabelo, podem durar alguns meses.

A radioterapia afeta os pacientes de formas diferentes e é difícil saber exatamente como cada um vai reagir ao tratamento. Para alguns pacientes os efeitos colaterais são leves, enquanto outros experimentam os efeitos mais graves.

Antes de iniciar o tratamento você deve discutir os possíveis efeitos colaterais com seu radioterapeuta.

COMO É O TRATAMENTO?O tratamento radioterápico é geralmente administrado como uma série de tratamentos individuais, liberando uma pequena dose de radiação por dia ao longo de várias semanas.

A maioria dos pacientes fazem cinco tratamentos por semana, ou seja, um tratamento por dia , de segunda a sexta-feira, com uma pausa no fim de semana. Entretanto, em alguns casos, o tratamento pode ser administrado mais do que uma vez por dia ou durante o fim de semana. Geralmente, o tratamento dura entre uma e sete semanas.

As doses individuais de radioterapia são frequentemente denominadas de frações. No entanto, o termo sessões pode ser utilizado para indicar o número de vezes que será necessário ir ao serviço de radioterapia para a realização do tratamento. Muitas vezes esse termo é mais utilizado, porque é possível ter várias frações de tratamento numa única ida ao hospital.

O número de frações ou idas ao serviço de radioterapia dependerá do tipo de tumor a ser tratado e do objetivo do tratamento. Se a radioterapia é realizada para aliviar os sintomas, ao invés de curar o câncer, geralmente são necessárias menos sessões.

A radiação é liberada por um equipamento chamado acelerador linear. A maioria dos aceleradores lineares tem um gantry, que é a cabeça do equipamento. Esse gantry tem um dispositivo denominado colimador, que dá forma ao feixe de radiação, de modo que ele se adapte à forma do tumor a partir de um determinado ângulo. Durante o tratamento, o gantry se moverá em torno de você para liberar a dose de radiação prescrita no volume alvo. O feixe de radiação não é visível a olho nu, você não o verá quando ele sair do gantry.

O primeiro tratamento poderá demorar um pouco mais, pois será acompanhado pelo dosimetrista e algumas vezes pelo físico médico, que acompanharão o técnico de radioterapia no seu posicionamento, comparando com imagens realizadas durante o planejamento de tratamento se tudo está exatamente conforme o planejado. No entanto, os tratamentos subsequentes, serão mais rápidos.FONTE: http://www.oncoguia.org.br/mobile/conteudo/o-tratamento/4624/698/

Publicado em Deixe um comentário

CUIDADOS DURANTE A RADIOTERAPIA

Durante a radioterapia alguns cuidados com a pele e higiene são fundamentais para manter o bem estar e a eficácia do tratamento

  • A pele deve estar sempre limpa, sem cremes ou pomadas
  • Lavar a pele com água morna ou fria
  • Utilizar sabonete neutro
  • Limpar a pele suavemente
  • Usar roupa de algodão (sem fibras ou elásticos)
  • Usar sutian confortável, sem bojo ou arame de sustentação
  • Usar creme hidratante neutro após o tratamento e enquanto a pele estiver integra
  • Não aplicar desodorantes, perfumes, cremes ou adesivos na região de tratamento sem orientação médica
  • Não depilar a axila da região irradiada
  • evitar exposição ao sol e ao frio extremo
  • Não fazer natação em piscina com cloro, sauna ou jacuzzi
  • Não aplicar produto com iodo
  • Caso a pele esteja muito irritada e sensivel, aplicar compressas de chá de camomila frio.

Fonte:(Mama Help)

Publicado em Deixe um comentário

EFEITOS COLATERAIS DA RADIOTERAPIA

Já que começamos a falar de radioterapia, que tal saber quais os efeitos colaterais que essa terapia provoca?

  • Após algumas semanas de tratamento a pele irradiada pode ficar vermelha, idêntica à reação após exposição solar
  • No caso da mama, ou parede toráxica, podem aparecer edemas (inchaços) e/ou hiperpigmentação, o que vai deixar a pele mais escura por algum tempo
  • Se a região tratada incluir o esôfago, pode haver dificuldade com a passagem de alimentos. Nesses casos, o médico deve ser alertado o mais depressa possível
  • Fadiga que pode aparecer no decurso do tratamento e durar até algumas semanas após o término. Lembrando que o cansaço pode vir também da rotina de ter que se apresentar no local do tratamento todos os dias

Bom, eles não são nada perto dos efeitos da quimioterapia mas vala a pena conhece-los.

Fonte:(MamaHelp)

Publicado em Deixe um comentário

QUIMIOTERAPIA X RADIOTERAPIA – QUAL A DIFERENÇA?

Sabemos que quando se trata de câncer cada caso é um caso e cada tratamento é único mas na maioria das vezes o paciente precisa passar por dois tratamentos mais tradicionais: quimioterapia e radioterapia.
Mas você sabe qual a diferença dos dois? Como e onde atuam?

Quimioterapia: tratamento onde se utiliza um conjunto de medicamentos para tratar o câncer. Essa medicação atua nas células doentes impedindo a sua divisão que acontece de forma rápida porém, na maioria das vezes, as células saudáveis também são atingidas e á a partir daí que aparecem os efeitos colaterais, como a queda de cabelos por exemplo.
A quimioterapia pode ser administrada por via endovenosa (aplicada nas veias ou no cateter) ou oral e é utilizada para:

  • permitir que o tumor reduza de modo a facilitar a cirurgia – tratamento neoadjuvante
  • contribuir para que a doença não volte a surgir após a cirurgia – tratamento adjuvante
  • retardar a progressão da doença ja localizada em outros órgãos, ou fazer que regrida – paliativo

Radioterapia: tratamento local que utiliza feixes de radiação ionizante capazes de destruir as células tumorais. É um tratamento feito em região bem determinada que engloba a área do tumor, com cuidado de preservar os tecidos vizinhos.
Como as células doentes, ao contrário das saudáveis, tem maior dificuldade de se recuperar das lesões provocadas pela radiação a radioterapia tira proveito disso e destrói as células tumorais sem comprometer a capacidade de regeneração das demais células.
Os objetivos da radioterapia são:

  • Após a cirurgia, eliminar células residuais malignas, suscetíveis a multiplicação, e assim diminuir o risco de reaparecimento do tumor – tratamento adjuvante
  • Antes da cirurgia, reduzir o tamanho do tumor e facilitar a intervenção cirúrgica – tratamento neoadjuvante
  • Controlar sintomas produzidos pelo próprio tumor ou metástases – paliativo

A radioterapia pode ser indicada isoladamente ou depois da quimioterapia. As radiações não são audíveis, nem perceptíveis e não causam dor.

Fonte:(Mama Help)