Publicado em Deixe um comentário

Descubra as vantagens do Tamoxifeno

O tamoxifeno foi um dos primeiros bloqueadores hormonais utilizados no tratamento do câncer de mama. Sua função é impedir que a célula cancerígena perceba os hormônios femininos, bloqueando seu crescimento e causando a morte dessas células.
É um medicamento usado desde a década de 1970, sendo extremamente eficaz e seguro. É certamente o medicamento que mais salvou vidas na história da oncologia.
A maioria das pessoas não apresenta efeitos colaterais do seu uso. De cada 10 mulheres, 7 não têm nenhum efeito colateral. Em geral, quando os efeitos colaterais ocorrem, eles são limitados, se resolvendo em semanas a poucos meses. Os efeitos colaterais mais significantes são as ondas de calor, semelhantes às que ocorrem com a menopausa, o aumento do endométrio (que não causa maiores transtornos na vida da mulher), alteração na menstruação e aumento de risco de trombose em pessoas que têm predisposição ou já tiveram trombose antes (também um evento muito raro). Uma minoria das pessoas pode ter efeitos mais intensos necessitando da troca do tratamento. Isto é extremamente raro.
Não se deve ter medo de usar este tratamento. Como dito anteriormente, são extremamente eficazes contra o câncer de mama com receptores hormonais positivos, aumentando de maneira importante a chance de cura. É um medicamento altamente seguro, tem baixíssimo índice de complicações, que na maioria das vezes se resolvem sozinhas em poucas semanas.
Converse sempre com seu médico!

#cancer#cancerdemama#tamoxifeno#seguro#cura#hormonioterapia#medicina

Publicado em Deixe um comentário

CONHEÇA O PAPEL FUNDAMENTAL DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ONCOLOGIA NO TRATAMENTO DOS PACIENTES COM CÂNCER POR DR. FELIPE ADES

?
❤
?

Cats,  esse texto do nosso diretor científico Dr. Felipe Ades – Oncologista nos conta qual o verdadeiro papel do enfermeiro da área oncológica, um dos profissionais que mais auxilia os pacientes com câncer. 

Oncologia é uma área da medicina que requer um cuidado multidisciplinar. Para que um tratamento seja feito com sucesso é necessário que se trabalhe em equipe com um grande número de especialistas das mais diversas áreas da saúde. Veja no texto abaixo o papel fundamental do enfermeiro especialista em oncologia no tratamento dos pacientes com câncer. Texto elaborado por Iracema Coelho, enfermeira do Centro de Oncologia do Hospital Albert Einstein.

O enfermeiro oncológico é o profissional que vai prestar assistência ao paciente, em todas as fases do tratamento do câncer. Desde o diagnóstico da doença, passando pelas várias fases do tratamento como a cirurgia, a radioterapia, e o tratamento com medicamentos e quimioterapia. A oncologia é uma área muito específica, portanto é importante que os enfermeiros tenham formação de especialista na área e que estejam sempre se atualizando.

Além de prestar assistência, o enfermeiro oncologista tem outras atribuições, como tomar providências administrativas para a liberação e agendamento dos procedimentos de tratamento além de ter papel educacional, orientando tanto o paciente quanto os familiares durante o tratamento.

No dia-a-dia da assistência o enfermeiro recebe o paciente após a decisão de tratamento pelo médico oncologista. Neste momento o paciente é acolhido pelo enfermeiro que realiza a conferência do protocolo de tratamento, checando informações como o peso e altura, doses de medicações e medicações de suporte para a quimioterapia, conhecidas com “pré-QT”. Isto garante uma maior segurança na administração dos protocolos de tratamento.

Um aspecto muito importante para o tratamento é a escolha de dispositivo para a infusão dos quimioterápicos que serão feitos pela veia. Nesta avaliação o enfermeiro avalia as veias do paciente, e junto com a equipe médica, escolhe a melhor opção para a aplicação dos medicamentos. Algumas medicações podem ser feitas nas veias superficiais dos braços ou das mãos, por cateteres que chamamos de periféricos; já outros medicamentos precisam de veias mais fortes, sendo necessária a colocação de cateteres profundos. A escolha depende do tipo de tratamento e das veias de cada pessoa.

A maior parte das vezes o tratamento é feito no ambulatório. O paciente vem ao hospital apenas para a aplicação do medicamento e retorna para casa no mesmo dia. Quando o paciente chega ao centro de infusão, é realizada uma consulta inicial de enfermagem, onde são coletadas todas as informações relevantes para o tratamento e também são dadas as orientações importantes ao paciente e acompanhante, como possíveis efeitos colaterais dos medicamentos, coleta de exames, cuidados com cateter, como realizar os agendamentos, o que muda no dia-a-dia do paciente durante o tratamento, quando entrar em contato com a equipe médica ou quando e como procurar um pronto atendimento em caso de necessidade.

Realiza-se também um exame físico geral e analisa-se a necessidade de avaliação e acompanhamento de outros profissionais, como psicólogos, dentistas, fonoaudiólogos, etc. Após realizar esta consulta inicial, o enfermeiro fornece todas as orientações e esclarece as dúvidas, para então dar início ao tratamento.

Tão importante quanto os medicamentos quimioterápicos, é o controle e manejo dos sintomas colaterais; que podem ser determinantes para o sucesso e continuidade do tratamento. É importante estar atento à prevenção e controle destes sintomas indesejados.

Equipe de Multidisciplinar de Oncologia do Hospital Albert Einstein
Equipe de Multidisciplinar de Oncologia do Hospital Albert Einstein

Atualmente, com o avanço das pesquisas, há no mercado uma ampla gama de opções de tratamento de suporte que amenizam os transtornos causados pelos quimioterápicos como, por exemplo, os medicamentos para enjôo de última geração, que podem reduzir significativamente o surgimento de náuseas. O uso da touca gelada para diminuir a queda de cabelo, pode ser uma opção, principalmente para pacientes do sexo feminino, que buscam manter a autoestima.

IMG-20160216-WA0002
Equipe de Multidisciplinar de Oncologia do Hospital Albert Einstein na festa de aniversário do Centro de Oncologia

O enfermeiro oncológico atua não apenas durante o período da quimioterapia, a assistência é integral também durante o tratamento radioterápico (caso este seja necessário); onde o enfermeiro também intervém fazendo a avaliação pré-tratamento, acompanhamento durante a radioterapia e orientando após o fim deste tratamento. Caso seja necessária a internação hospitalar, quer seja para tratamento quimioterápico, ou para controle dos sintomas, a equipe de enfermagem oncológica acompanha o paciente durante todo este período. Tanto para o paciente ambulatorial, quanto para o paciente internado, existe enfermeiro especializado em curativos para pacientes com câncer, caso haja essa necessidade.

O enfermeiro é provavelmente o profissional com o qual o paciente tem mais contato durante o tratamento. Por isso é muito comum que o enfermeiro seja o primeiro profissional a reconhecer possíveis alterações clínicas ao longo do tratamento, podendo detectar problemas quando ainda estão em sua fase inicial, mesmo que não sejam ainda notados pelo paciente. É o enfermeiro que faz, muitas vezes, o primeiro alerta dentro da equipe assistente, para que se avaliem possíveis problemas ao longo do tratamento.

O enfermeiro oncologista é um elo fundamental no tratamento multidisciplinar dos pacientes com câncer, trabalhando em conjunto com os demais profissionais e assim promovendo uma assistência integral e de qualidade aos pacientes.

Iracema Coelho - Enfermeira do Centro de Oncologia do Hospital Albert Einstein
Iracema Coelho – Enfermeira do Centro de Oncologia do Hospital Albert Einstein

Comentários

0 comentário

Publicado em Deixe um comentário

Minha experiência com cuidados paliativos por Vivi Roos

A nossa querida Cat Viviane Roos nos contou a experiência dela com os cuidados paliativos! Confiram! 

“Os cuidados paliativos, na verdade, não são uma opção, eles são indicados pelos médicos no caso da doença ter avançado para o estágio de metástase onde o paciente terá medicamentos para controlar a doença, mas não para curar. É a assistência integral oferecida para pacientes e familiares quando estão diante de uma doença grave que ameace a continuidade da vida, segundo a Organização Mundial da Saúde.
Quando o meu oncologista me encaminhou, fiquei com um pouco de receio, porque o que a gente tem na memória desse assunto é que os cuidados paliativos significam que não tem mais jeito, e tal, mas na verdade hoje é indicado que sejam iniciados o quanto antes, junto com os demais tratamentos como quimioterapia, radioterapia e cirurgias, além de incluir todas as investigações necessárias para uma melhor compreensão e manejo dos sintomas.
Os médicos, enfermeiros, massoterapeutas devem conhecer o paciente a fundo e assim melhorar a qualidade de vida dele. Embora eu trate um câncer de mama com metástase óssea e no fígado, tenho poucos problemas que necessitem de intervenção e medicação para dor, mas, caso ocorra, tenho o contato direto com a equipe de enfermagem do hospital onde eu me trato para me ajudar.
Além disso, faço exercícios liberados pelos médicos, me alimento bem, pratico yoga e massagens…tudo para manter meu corpo e mente funcionando da melhor maneira possível.” 

Publicado em Deixe um comentário

NUTRIÇÃO E ONCOLOGIA: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A alimentação adequada é essencial para manter o bom equilíbrio do organismo e um estilo de vida mais saudável. É muito importante estarmos atentos aos alimentos que ingerimos, pois, segundo o artigo sobre Alimentação Saudável do Instituto Nacional de Câncer (INCA), muitos deles podem estar relacionados ao risco do surgimento do câncer, assim como os de intestino, mama, próstata, estômago e esôfago. Por isso, deve-se evitar, por exemplo, comidas que contenham uma quantidade de gordura excessiva, como salgados, frituras, carnes com gordura aparente, além de embutidos, como linguiças, presuntos, mortadelas, salames, salsichas, etc, pois geralmente contém um alto teor de sódio e de gordura saturada e enlatados, já que os produtos químicos sintéticos usados para embalar, armazenar e processar esses alimentos produzem um composto tóxico que prejudica a saúde. Se consumidos por muito tempo e em grandes quantidades, podem ser muito perigosos para as células saudáveis, transformando-as em células cancerígenas. ????????

Pacientes com câncer, principalmente, devem se alimentar de forma correta, pois os efeitos colaterais dos medicamentos utilizados no tratamento oncológico podem incluir a perda do apetite, ocasionando uma perda significativa de peso, algo que se torna uma interferência negativa em seu prognóstico, além de evitar a degeneração dos tecidos do corpo e auxiliar na reconstrução daqueles que a quimioterapia possa ter prejudicado. Devido a isso, a alimentação saudável e equilibrada possui uma importância ainda maior na vida dessas pessoas, pois quando não se ingere a quantidade suficiente de nutrientes, o corpo aproveita os que já estão armazenados para servirem de fonte de energia, enfraquecendo as defesas naturais. A rotina alimentar deve conter todos os nutrientes necessários para a saúde, em especial os três grupo de maior relevância: reguladores, construtores e os energéticos, pois serão de grande ajuda para que o paciente não perca a energia durante o período de tratamento. As refeições diárias ideais, não só para pacientes oncológicos, se constituem por 50% de nutrientes reguladores (vitaminas, minerais e fibras), que podem ser encontrados em vegetais crus e cozidos, frutas, verduras e legumes em geral. A outra metade é composta pelos 25% de nutrientes construtores (proteínas), presentes em carnes de boi, peixe e frango, ovos, leite e derivados, e os 25% de nutrientes energéticos (carboidratos e gorduras), existentes nos cereais, tubérculos e raízes, pães, massas, farinhas e óleos vegetais. ????????????

De acordo com o A.C. Camargo Cancer Center, os antioxidantes também são imprescindíveis, pois fornecem substâncias ao organismo que têm a função de combater os radicais livres que atacam as células. Eles estão presentes em alimentos que contenham Vitamina A, como os alaranjados, amarelos e vermelhos; Vitamina C, como as frutas cítricas; Vitamina E, como óleos vegetais, grãos e nozes e minerais como o Zinco, encontrado em castanhas e Selênio, presente nas carnes, leite, nozes e castanhas. Além disso, as fibras também merecem uma atenção especial, pois ajudam principalmente na prevenção de câncer colorretal, já que são essenciais para a eliminação das fezes, e consequentemente de substâncias promotoras do câncer. Beber bastante água (seis a oito copos por dia) também auxilia nesse processo.????????

Assim, optar por alimentos naturais e integrais e de origem vegetal, dosar corretamente as quantidades de carboidratos, proteínas e vegetais, além de praticar os exercícios físicos indicados para cada caso por um médico, é muito importante paral manter um estilo de vida mais saudável, aumentando a longevidade. A alimentação saudável beneficia a todos, mas principalmente os pacientes diagnosticados com câncer, pois são os que mais precisam de força, energia e cuidados com a a saúde nessa fase pela qual estão passando. ?❤?